Serão distribuídos 962 unidades adquiridas pelo consórcio; objetivo é promover a educação ambiental e combater a poluição

Nova Odessa

O Consimares (Consórcio Intermunicipal de Manejo de Resíduos Sólidos) iniciou esta semana a distribuição de 962 novas lixeiras-papeleiras que serão instaladas nos sete municípios que integram o consórcio. No ano passado, o órgão já havia distribuído 2.500 unidades com objetivo de auxiliar na educação ambiental e combate à poluição.

Detectamos que em alguns municípios a quantidade de lixeiras era pequena e que eles necessitavam de tais equipamentos para ações mais efetivas no combate à poluição. Diante disso, realizamos a compra e agora as cidades farão a instalação”, explicou o superintendente do Consimares, Valdemir Aparecido Ravagnani.

Ele lembrou que esta é a segunda remessa de lixeiras cedidas pelo Consimares. “No final do ano passado realizamos a primeira parte deste projeto e agora estamos concluindo”, disse.

Presidente do Consimares, o prefeito Benjamim Bill Vieira de Souza destacou a importância do projeto. “Esta parece uma ação simples, mas o investimento que o Consimares está fazendo nas cidades consorciadas é muito grande, pois contribuirá com a limpeza dos municípios, evitará que os resíduos que muitas vezes são dispensados nas ruas cheguem até os rios e promoverá a conscientização da população sobre os cuidados com o meio ambiente”, afirmou.

Segundo o consórcio, Nova Odessa recebeu 100 novas lixeiras, Sumaré foi contemplada com 270 e Hortolândia com 220. Para Santa Bárbara d’Oeste foram enviadas 210 unidades, outras 70 para Monte Mor e 22 para Elias Fausto. Capivari, que também integra o Consimares, recebeu 70.

Secretária de Meio Ambiente, Carla Lucena destacou que já está sendo feito um levantamento dos locais onde as lixeiras serão instaladas. A diretora de Fiscalização e Licenciamento Ambiental da Secretaria de Meio Ambiente de Nova Odessa, Aryhane Massita destacou que as UBSs (Unidades Básicas de Saúde) e o Hospital Municipal e Maternidade Dr. Acílio Carreon Garcia, além de pontos de ônibus, ginásios e outros prédios públicos devem ser contemplados.

Foto: Osnei Réstio