Arte de grafiteiros embeleza Praia
Grupo de grafiteiros trabalhou durante dois dias para deixar sua arte em paredes da Praia
Compartilhe nas redes sociais

A Sectur (Secretaria de Cultura e Turismo) de Americana, com o apoio da Secretaria de Planejamento, realizou em maio um encontro de 10 grafiteiros de várias cidades que se reúnem no grupo Crew, Anata e Pânico, na orla da Praia dos Namorados. O estilo das artes foi livre, entre eles, o 3D e o realismo.


Recentemente, alguns destes artistas grafitaram as paredes do CCL (Centro de Cultura e Lazer), por meio da Lei Aldir Blanc, e se propuseram voluntariamente a grafitar as paredes da orla da Praia dos Namorados, nas proximidades dos sanitários públicos. O grupo tem vários realizados em escolas e outros espaços em Americana e cidades da região.


“Buscamos dois parceiros que forneceram as refeições aos artistas, que foram o Restaurante D Napoli e o Quiosque da Dalva. A orla da Praia dos Namorados está revitalizada e agora agregaremos arte e cultura, através deste encontro de grafiteiros e agradecemos aos artistas do Pânico Crew e Anata Crew”, disse o secretário de Cultura e Turismo, Fenando Giuliani.


O GRUPO

Integrante do grupo e um dos organizadores do encontro, Werighton Gustavo Fernandes Moraes, de 37 anos, conta que eles são em 10 artistas, nove homens e uma mulher. Além de grafiteiros, eles também atuam em diferentes áreas, como designers, tatuadores ou professores de artes.


Dos 10 integrantes, apenas três são de Americana. Os demais são três de Piracicaba, um do sul do país, um de Sumaré e um de Santiago do Chile. “Começamos em 1999, com o nome Pânico. Em 2001 mudamos para Pânico Crew”, conta ele.


Há tempos eles vinham organizando esse novo encontro em Americana, mas faltava um muro suficientemente amplo para que todos pudessem deixar seus trabalhos. “Aí foi nos oferecido, pelo secretário de Cultura, essa proposta das paredes dos banheiros da praia”, relata.


O grafiteiro conta que o grupo resolveu usar o tema praia e lazer, mas que nem todos aderiram. “Fiz até uma sátira, ali em baixo. Pois temos ali um lago ainda bem poluído e, por sinal, cheio de carrapatos e tomado por insetos ao anoitecer”, ironiza.


Antes de desenhar suas obras, o grupo pintou toda a parede do banheiro, que estava só na textura. “Foram dois dias de trabalho, sábado e domingo”, lembra.

Powered by Froala Editor