Senadores requerem Sessão Especial para falar de OVNIs
Documento lembra que Brasil foi o primeiro país do mundo a reconhecer oficialmente a existência de discos voadores
Compartilhe nas redes sociais

Um grupo de oito senadores de diversos partidos, capitaneados por Eduardo Girão (PODEMOS/CE), protocolou requerimento no Senado pedindo a realização de uma Sessão Especial para discutir questões ligadas a OVNIs (Objetos Voadores não Identificados) e celebrar também o Dia Internacional da Ufologia, que acontece em 24 de junho. Ufologia é o estudo de UFOS, a sigla em inglês para OVNIs.

Além de Girão, assinam o requerimento, aberto para receber assinaturas de mais senadores, os seguintes parlamentares: Eliziane Gama e Alessandro Vieira, do CIDADANIA; Izalci Lucas (PSDB); Jorge Kajuru, Marcos do Val e Reguffe, pelo PODEMOS; e Paulo Rocha (PT).

Veja, abaixo, alguns trechos do longo texto idealizado pelos requerentes para justificar a realização de Sessão Especial sobre o tema:

“A existência de formas de vida em outros planetas do universo, especialmente mais avançadas inteligentemente, sempre suscitou a imaginação e a indagação da humanidade. Desde a Idade Média até os dias presentes, principalmente nas últimas décadas, luminares da ciência têm sido categóricos em afirmar que existe uma pluralidade dos mundos habitados além da Terra, o que é absoluto consenso entre os cientistas.

Para se ter uma ideia, apenas em nossa galáxia, a Via Láctea, há estimados 200 bilhões de sois iguais ao nosso, ao redor do qual existem 10 planetas e um, a Terra, com vida inteligente. Se esta condição for encontrada em apenas 10% da Via Láctea, então teremos pelo menos 20 bilhões de planetas com vida inteligente, podendo estes mundos serem pouco, muito ou imensamente mais avançados do que nós. E o universo tem estimadas 3,1 trilhões de galáxias. As implicações desta pluralidade dos mundos habitados têm importantes implicações tecnológicas, morais e espirituais para a humanidade.

Ao mesmo tempo em que se indaga sobre a existência desta incontável ‘comunidade cósmica’, aqui na Terra, desde tempos imemoriais até o presente, nossa gente tem visto estranhos objetos voadores não identificados nos céus, muitas vezes a altíssimas velocidades e realizando incríveis manobras, impensáveis até mesmo para nossa tecnologia atual. Estes são os chamados OVNIs ou UFOs, também conhecidos pelo poderio militar norte-americano de ‘fenômenos aéreos inexplicados (UAP)’, na falta de uma terminologia melhor.

Há décadas que pelo menos 30 nações da Terra, que se sabe, estabeleceram comissões de pesquisa destes veículos, sendo que algumas, a exemplo dos Estados Unidos, têm impressionantes registros em filmes destes veículos, feitos por órgãos de sua Secretaria de Defesa, como o Pentágono. Hoje, em todo o mundo, busca-se uma abertura governamental para que a verdade descoberta por estas nações e seus órgãos de pesquisa sejam reveladas.

Desde que começaram a surgir com maior intensidade em 1945, com o advento das armas atômicas, os OVNIs atraíram e ainda atraem crescente número de estudiosos, os ufólogos, que se dedicam a pesquisar sua manifestação e informar os fatos à sociedade, papel que caberia aos governos. E foi a partir de 24 de junho de 1947, após um massivo avistamento de OVNIs nos Estados Unidos e outros países, inclusive o Brasil, que se estabeleceu o que hoje é conhecido como ‘Dia Mundial dos Discos Voadores’, e a data é comemorada anualmente pelos ufólogos.

O Brasil desponta neste cenário como a primeira Nação a admitir oficialmente que os OVNIs existem de fato e têm procedência extraterrestre. Isso se deu em uma reunião aberta à sociedade, militares e imprensa ocorrida na Escola Superior de Guerra (ESG), no Rio de Janeiro, em 1954, quando o então capitão da Aeronáutica João Adil de Oliveira declarou aos presentes a realidade destes objetos voadores e suas características tecnológicas avançadas. A França só faria o mesmo, vindo em segundo lugar, em 1976, 22 anos depois.

Desde 1954, o Governo Brasileiro, por meio de sua Aeronáutica, já criou vários programas oficiais de pesquisas dos OVNIs, como em 1977, quando ocorreu a chamada Operação Prato, em 1969, com a criação do Sistema de Investigação de Objetos Aéreos Não Identifica[1]dos (horas Soani) no IV Comando Aéreo Regional (COMAR), em São Paulo, e em 1986, quando ocorreu a hoje conhecida como ‘Noite Oficial dos UFOs no Brasi’, quando 21 OVNIs esféricos de 100 metros de diâmetro cada foram perseguidos durante por nossos caças a jato.”

SERVIÇO

Para ler o documento na integra, acesse: www.legis.senado.leg.br e peça REQUERIMENTO N° 193, DE 2022

Powered by Froala Editor