Governo dá sinal verde para a Central de resíduos da RMC
Obra pioneira na América Latina, vai transformar ‘lixo’ em energia elétrica e reduzir 90% dos gases de efeito estufa
Compartilhe nas redes sociais

O ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, sinalizou apoio ao projeto da Central de Tratamento de Resíduos da Consimares (Consórcio Intermunicipal de Manejo de Resíduos Sólidos da Região Metropolitana de Campinas) durante reunião com representantes do Consórcio realizada no final de 2023, em Brasília. A informação é do superintendente do Consórcio, Mimo Ravagnani, que representou o presidente do Consimares, Mauricio Baroni.

“Apresentamos o projeto ao ministro e os benefícios socioambientais dessa obra de saneamento que vai transformar em energia elétrica resíduos não recicláveis, que hoje são despejados nos aterros sanitários com prejuízos imensos ao meio ambiente. O ministro nos disse que estará empenhado em ajudar o projeto a avançar. Esse apoio é muito importante porque é uma obra de saneamento que vai gerar energia”, comentou o superintendente.

Mimo Ravagnani estava acompanhado do prefeito de Nova Odessa, Claudio José Schooder, o Leitinho, do engenheiro elétrico Antonio Bolognesi, coordenador do projeto, e do consultor ambiental Aldo Aluizio da Silva. A comitiva aproveitou o encontro para entregar ao ministro uma réplica do certificado de emissão de baixo carbono e economia circular, concedido pela União Europeia ao projeto, que segue os padrões de sustentabilidade mais eficientes do mundo. 

Antes do encontro no Ministério de Minas e Energia, a comitiva foi recebida pelo ministro de Relações Institucionais da Presidência da República, Alexandre Padilha. Na pauta, outros projetos em realização pelo Consimares, a exemplo da criação de uma rede de cooperativas de reciclagem para ampliar a coleta seletiva nos municípios, gerar trabalho e renda a catadores.

A Central de Tratamento e Resíduos beneficiará sete cidades do território do Consórcio (Capivari, Elias Fausto, Hortolândia, Monte Mor, Nova Odessa, Santa Bárbara d´Oeste e Sumaré). A região, com cerca de um milhão de habitantes, produz 700 toneladas de resíduos por dia.


EFEITO ESTUFA

De acordo com Bolognesi, a implantação da Central de Tratamento Consimares evitará a produção de 438 mil toneladas/ano de gás carbônico (CO2) geradas pelo volume de lixo que chega aos aterros sanitários da região, o que representa uma redução de 90% dos gases de efeito estufa.

“Esse projeto muda completamente a rotina daquilo que é considerado um problema, que é o resíduo, que vai pra baixo da terra e faz produzir metano, mudança climática... e passa a ser um produto útil que vai gerar energia, a parte reciclável vai ser reciclada, a parte orgânica será transformada em composto. É um projeto que entra nos conceitos da sustentabilidade, economia circular, e de baixo carbono porque elimina a produção de metano”, assinala Bolognesi.

A Central de Tratamento de Resíduos faz parte do Programa Recicla Junto Consimares que envolve os sete municípios consorciados em ações integradas para fomentar a economia circular na região com ampliação da coleta seletiva e valorização do trabalho dos profissionais da reciclagem.  


Powered by Froala Editor

Powered by Froala Editor